Ele é diferente de tudo e de todos

homem, dormindo, tumblr, texto, amor, sonhos, desejo, criação, contos, historias, sentimentos

Eu estava ali. Não estava procurando nada nem ninguém, estava apenas ali, observando o tempo passar, as coisas mudarem a cada segundo. Estava ali, vendo pessoas irem e não voltarem mais, vendo o vento balançando as arvores e suas folhas caindo. Mesmo assim, sem eu estar te procurando, te achei no meio de tantas pessoas, tantas coisas, tanto tempo. Você não era nada pra mim, mas se tornou um tudo de uma forma tão estranha. Foi como se tudo ao meu redor tivesse parado, como se a velocidade das coisas fosse diminuída para que eu pudesse contemplar o seu sorriso largo, o brilho do seu olhar. Uma onda de sentimentos me atingiu como uma bala. A beleza foi a primeira impressão, mas não era o suficiente para me deixar desnorteado como eu estava. Seria possível esse momento ser mais estranho? Parecia que eu te conhecia a anos sem mesmo ter te visto uma vez na minha vida antes disso.

A cada passo que você dava em minha direção, o meu coração ficava mais acelerado. Conseguia até mesmo senti-lo em minha boca, pronto para sair. Cada vez que você diminuía o espaço entre eu e você, o mundo dava uma travada, haviam cada vez mais borboletas em meu estomago e eu pensava que não daria conta de ir adiante com o que estava pra acontecer. Parece bobagem, provavelmente era apenas um cara procurando saber de algo. Deveria ter alguma duvida de como chegar a algum lugar ou perguntar as horas. Mas você sabe como é quando você fica sem chão ao ver uma pessoa que mexe com você. O mais engraçado é que eu não sabia o motivo que estava fazendo com que eu reagisse daquela forma.

Então, tão demorado quanto o possível e tão rápido como deveria, ele se aproximou e sentou ao meu lado. Eu pagaria qualquer coisa para ver a minha cara nesse momento, mas tenho certeza que deve ter sido alguma muito engraçada, porque ele mal tinha se sentado e já começou a sorrir e me disse "oi". Ele cruzou as pernas como se fosse meditar. Pareceu uma eternidade até ele ter a minha resposta, outro "oi". Ele perguntou meu nome, se apresentou pra mim, perguntou o que eu estava fazendo ali sozinho, sentando em um banco de uma praça cheia de arvores no meio da cidade. Dava pra ver o quanto ele estava interessado em saber mais de mim, me conhecer. Passamos horas, literalmente, conversando, nos conhecendo. Posso dizer com convicção que isso nunca me aconteceu. Uma pessoa sentar ao meu lado e começar a conversar da forma que ele fez? Não é assim que normalmente acontece.

E a coisa não poderia ficar mais estranha e incrível. Depois de tanto tempo conversando, ele me chamou para tomar um sorvete, passear com ele no shopping, jantar ou até mesmo ir no cinema. Quem hoje em dia convida uma pessoa estranha para fazer isso? Normalmente todos passam semanas conversando pela internet e "estalkiando" as pessoas para saberem mais sobre elas antes de se conhecerem pessoalmente. Fiquei tão perdido entre o sim e o não que ele percebeu, me deu a mão, fazendo um sinal para que eu levantasse e fomos tomar sorvete. Mais algum tempo se passou e ele me deu o numero dele de telefone. O mais incrível é que em momento algum da conversa eu vi ele pegando o celular para fazer qualquer coisa. Ele estava ali, apenas ali comigo, um estranho, sem nada para interferir. Tenho certeza que isso seria o inicio de algo maravilhoso e de um futuro incrível se não fosse o despertador tocando e me tirando do sonho mais lindo que eu tive em toda a minha vida, me puxando com todas as forças para a minha realidade.
Tecnologia do Blogger.