Ele se matou para viver mais uma vez

By Um Container - 11:10:00


Era um dia de chuva e os pingos fortes batiam na minha janela fazendo um barulho ensurdecedor em plena 7h da manhã, mas não precisava me preocupar porque não havia mais ninguém na casa além de eu mesmo. Não havia nenhuma pessoa para reclamar do barulho, do dia ou de qualquer coisa que possa a vir ser motivo de reclamação. Ali estava eu, sentado na cama, com a coberta em meu colo e ao mesmo tempo enrolada em mim tampando a minha cabeça. Estava frio, mas não o suficiente para levantar e pegar mais uma coberta; estava com fome, mas não o suficiente para levantar e pegar algo para comer; estava entediado, mas não o suficiente para sair dali, me mover e fazer algo mais útil. Eu estava ali, apenas ali, olhando para a parede a minha frente  ou pelo menos tentando olhar, já que estava escuro o suficiente para não enxergar de forma correta porque a minha visão era boa, mas não o suficiente para conseguir ver as coisas com mais clareza. 

Passei mais de uma hora na mesma posição pois não queria fazer nada além de estar ali e pensar na vida, pensar em como tudo estava desabando e como tudo poderia piorar. Nunca fui uma pessoa otimista, sempre espero o pior, sempre sei que se tem chance de algo dar errado é porque vai dar errado. Eu sempre tinha esses momentos de meditação pela manhã, não com tanta intensidade como nesse dia, não com tanta força de vontade de fazer algo ser diferente, mas sempre que possível eu meditava e tentava encontrar o meu eu interior, mas o problema é que sempre entravamos em conflito. Algo sempre esteve errado comigo, sempre estávamos diferentes, com pensamentos e opiniões diferentes e eu nunca intendi o porque. Sempre discutíamos e eu voltava cada dia mais fraco, cada dia com menos vontade de fazer qualquer coisa. Com o tempo eu fui percebendo que o meu eu interior é o que eu sou realmente e que o fato de eu voltar assim sempre das minhas sessões e de brigar sempre com ele é porque eu tentava resistir a minha felicidade, a minha vida e a forma melhor de viver que eu poderia ter.

Eu sei que isso pode parecer algo ruim para as pessoas, mas isso é ótimo para mim que sempre espero o pior e quando não acontece, quando o universo resolve me surpreender e faz com que o pior não aconteça, eu fico feliz, instantaneamente feliz. Mas a felicidade não era o que estava acontecendo comigo naquele momento, eu estava precisando resolver o que eu faria comigo, o que eu faria com a minha vida porque tudo parecia estar insuportável. Sempre soube que nem todo mundo aguenta as mesmas coisas que as outras pessoas e que sempre temos o nosso limite. Não sei se eu estava no meu limite, mas sabia que se eu chegasse no fundo do poço, não teria escada para subir. Cheguei a pensar que isso poderia ser o inicio de uma depressão e que só tendia a piorar, como eu disse, sempre espero o pior, mas vi que não era bem assim, que eu precisava apenas decidir mudar ou ficar na mesma, ou ser uma pessoa oprimida e sem vida, sem sorrisos, sem ser quem eu realmente era. Me senti como se estivesse nascendo novamente, como uma borboleta saindo de um casulo, me libertando de tudo a minha volta que me fazia mal, me sentindo mais livre do que eu achava que poderia. 

O tempo que passei pensando e refletindo sobre a minha vida me fez ver que eu tinha uma saída para qualquer problema que me apareceu e que se eu precisava mudar a minha vida para conseguir ser feliz, eu teria de fazer isso. Não adianta esperar que tudo caia do céu ou que tudo aconteça, é necessário lutar e subir no palco, fazer seu show e mostrar para o que veio. Depois de tanto ter pensado eu vi que a felicidade não é algo pleno e que ela está presente em pequenos momentos da vida. Seja um sorriso de um desconhecido ou um carinho amigo; seja uma palavra doce ou uma musica boa; seja um dia de sol ou um dia de chuva. O que importa é se você consegue retirar a felicidade desses poucos momentos. Nesse dia eu me matei, matei o meu eu exterior para renascer, para sair uma pessoa nova e diferente em quase tudo, matei para o meu eu interior poder sair e se mostrar ao mundo, ser quase de forma literal uma nova pessoa. Me senti uma fênix renascendo das cinzas mostrando que há mais do que apenas complicações na vida e que a vida não é cinza e sim colorida. Eu estou vivo.

 FACEBOOK | INSTAGRAM | TWITTER | CANAL 

  • Share:

You Might Also Like

11 comentários

  1. Oi Alef!
    Posso não estar certo, porém seu relato é um relato mais do que perfeito de uma encontrou coragem para enfim sair do armário e viver a vida de forma plena e de certa forma realizada.
    Como eu já disse não sei se estou certo, mas é sempre maravilhoso quando a gente se abre e abraça quem realmente somos, seja lá o que sejamos, gordo, magro, gay, trans, não importa, o que realmente importa é estar bem consigo mesmo e conseguir viver a vida da forma mais gostosa e proveitosa que puder!
    Eu poderia dizer que essa era minha história, mas não foi pelo menos não em parte, demorei um pouco a aceitar minha sexualidade e quando enfim estava me acostumando a ideia, me tiraram do armário a força, foi devastador, mas hoje em dia acho que foi até melhor, pois, sou realizado e feliz com minha sexualidade e com a forma que levo minha vida!!
    Amei o post, como eu para ver me identifiquei um bocado né?

    Xo
    Alisson
    Re.View

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está mais que certo e eu tenho a certeza com esse seu comentário que você entendeu muito bem o que eu quis passar, o que eu quis mostrar para todos. Como sempre eu agradeço o seu carinho e fico muito, mas muito feliz que tenha gostado e se identificado com o texto. Seus comentários vieram apenas para agregar amor e conteúdo aqui. Obrigado mais uma vez.

      Excluir
  2. Gostei demais de seu texto! As vezes é mesmo preciso falecer para então renascer de forma mais evoluída.
    Ai, essas reflexões matinais... ;)

    Meu cantinho:
    http://www.umavidaemandamento.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As melhores reflexões são as matinais e as que a gente tem no chuveiro. Parece que é necessário tudo isso, todos precisamos aprender mais com a vida e eu acho que em todos os pontos precisamos falecer para renascer melhor, mais forte e mais evoluído. Adorei a sua visita e que bom que gostou. Obrigado pelo carinho.

      Excluir
  3. Olá!!
    Cada dia mais viro sua fã! Adorei o texto. Me identifiquei com você. Nunca fui uma pessoa otimista, prefiro pensar que sempre as coisas podem piorar para não criar expectativas demais e acabar me decepcionando.
    Espero que seja um novo começo para você e que seja incrível!

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cada dia que passa eu me torno mais seu fê. Adoro as suas visitas e fico muito feliz que tenha gostado da postagem e que se identifique. Não sei nem como posso agradecer a tanto carinho.

      Excluir
  4. Que texto maravilhoso! Super me identifiquei! Renascer sempre! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, fico feliz em saber que se identificou com o texto e com meus sentimentos. Espero te ver aqui muitas outras vezes.

      Excluir
  5. Oii,amei seu texto!
    estou me tornando sua fã,eu tenho um canal no youtube(começando),e gostaria de pedir sua autorização para fazer como uma citaçao no meu canal!
    ?? :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vitoria, eu que to me tornando seu fã. Você é demais. Com toda certeza, pode usar como citação no seu canal. Depois me manda o link por e-mail, vou amar assistir. Obrigado pelo carinho, de coração. To sorrindo de orelha a orelha. Muitos beijos.

      Excluir
    2. aihn Obrigada! Agora quem esta sorrindo muito sou eu! kk
      vou mandar o link sim :)
      beijo beijo!

      Excluir

Deixe o seu comentário, não esqueça do seu email e do seu blog!