Além do Tempo, a novela que renova a dramaturgia

13:12:00




Quem me acompanha nas redes sociais já sabe que eu estou adquirindo um gosto que eu não tinha a muito tempo. Estou me apaixonando novamente pelas novelas de uma forma que não sei explicar, mas vai chegando os horários das novelas eu vou lutando pra pegar o controle e ficar no sofá jogado para acompanhar todo novo capitulo que passa e quando eu perco passo a assistir na internet para ficar sempre por dentro do assunto que está passando.

O problema das novelas que passavam a um tempo era que sempre aconteciam as mesmas coisas, sempre os mesmos clichês fazendo com que eu perdesse a vontade de acompanhar qualquer novela, qualquer história que estavam criando. Não apenas eu como muitas pessoas reclamavam que a teledramaturgia precisava ser reinventada, atualizada e transformada em algo novo, algo diferente do que sempre acontecia nas novelas. Cá entre nós, a mesmice cansa qualquer pessoa. Sabemos que as histórias das novelas devem ter alguns clichês que são os vilões, o casal apaixonado que não pode ficar junto, aquele amor proibido, traições, preconceitos e por ai vai uma grande lista de clichês que não podem faltar em uma novela. Mas se já temos essa lista de coisas que devem ter, por que não mudar um pouco (ou muito) a forma de contar a história?

Além do tempo vem sendo a minha novela “queridinha” nos últimos tempos. Não consigo parar de assistir tanto pela boa história quanto pelos personagens e atores que eu adoro. Se a autora Elizabeth Jhin queria fazer algo incrivelmente diferente e ao mesmo tempo básico, ela conseguiu de uma forma estonteante. Sinto até vontade de abraça-la e beija-la de tanto amor que tenho por essa mulher após essa novela.


Muitas pessoas vão falar que na novela não tem nada de novo, nada de diferente e se for ver tem tanto clichê quanto pode ter uma novela. Mas é necessário peneirar a novela, peneirar as histórias. Não é possível ver os encantos dessa novela se não perceber os detalhes que são ricos em emoção e amor aos que mostram a história ao longo do tempo. Além do tempo é uma novela que recuperou aquela vontade de sentar-se no sofá, cama ou qualquer lugar para parar o mundo por 1 hora e ficar diante da televisão, se desligando do mundo, dos seus problemas, de tudo o que está acontecendo e se ligar apenas em um mundo diferente do nosso, diferente dos problemas que passamos. Está sendo uma novela que cumpre o que promete sem muitas invenções bizarras que saem do foco da novela.

A novela se passava no século XIX. Eram vistos cavalos lindos, mulheres usando chapéus, corpetes. As casas sendo iluminadas apenas por velas. Foi realmente uma história boa e muito além do que eu poderia imaginar que seria uma novela sem nenhuma tecnologia mostrada. Não existiam carros, não existiam televisões, não existia nada que poderia mostrar um pouco de tecnologia avançada na novela o que eu acho bem legal em vista que a nossa atualidade vive na tecnologia e que não largamos o celular nem um minuto. Tudo aquilo realmente me pareceu ser outro mundo. Um tipo de história que eu não achei que veria em novelas. Além disso, as cores eram mais fracas, mesmo que um roxo fosse roxo, o tom dele era mais leve, mais calmo. Não existiam cores gritantes (como segue o padrão da novela 10 mandamentos da Record).


A novela teve um salto de 120 anos para a nossa atualidade, nosso dia a dia, mas não perdeu a essência e o carinho pela história antiga. É quase como se fosse uma nova novela se não fosse tão ligada com o passado. O elenco continua o mesmo já que a história é um recomeço da antiga, quase que uma cópia, se não fossem alguns detalhes que diferenciam cada personagem de seu antigo posto. Os noves são os mesmos também para que seja contada uma nova história sem se esquecermos da antiga.

Sabemos que não é a primeira vez que há um salto no tempo na dramaturgia. Muitos autores já começaram a sua trama em um certo período, para iniciar a história e depois deram um salto no tempo. Mas normalmente essa introdução que acontecia nas novelas que já tiveram esse salto no tempo foram apenas para conseguir ocupar espaço da novela, sem uma história que realmente conta, apenas para prender o noveleiro. Não foi isso que aconteceu em Além do Tempo. Mas o legal é que esse salto no tempo que ocorreu foi de forma radical e no meio da novela. Podemos ver que realmente há o que contar para o telespectador, que há algo de novo, mesmo que se arraste o velho junto.


Ao oferecer ao público duas novelas em uma, Elizabeth Jhin promoveu a oxigenação do formato. Seria ótimo se todas as produções de novelas longas fossem assim tão coerentes e bem produzidas e não estou falando bem produzidas em questão de custo e sim de personagens bem trabalhos, atores que se doam e uma história espetacular que não temos do que reclamar. Elizabeth Jhin é incrível e consegue destrinchar tudo quando o assunto é espiritualidade. Após 87 capítulos exibidos, Além do Tempo registra média de 20 pontos no ibope. Uma ótima pontuação para uma novela das 18h, vamos concordar. O que nos resta é esperar que esse novo ciclo seja tão bom quanto o anterior.

A família Diffiori:

Emília (Gabriella Di Grecco/Ana Beatriz Nogueira): Sofrida e trabalhadora. Faz de tudo para proteger sua filha dos ‘males do mundo’.

Lívia (Alinne Moraes): Filha de Emília e de Bernardo (Felipe Camargo). Jovem linda e alegre. Apaixona-se por Felipe (Rafael Cardoso).

A família Castellini:

Condessa Vitória (Irene Ravache): Vaidosa, prepotente e extremamente orgulhosa de sua origem nobre.

Bernardo (Bernardo Marinho/Felipe Camargo): Filho da Condessa Vitória. Homem bom e determinado.

Felipe  (Rafael Cardoso): Conde, sobrinho-neto da Condessa Vitória. Homem de bom caráter.

Alex (Kadu Schons): Filho de Felipe com a primeira mulher, já falecida. É um menino triste, que não recebe afeto do pai nem da avó.

Os agregados da família Castellini:

Dorotéia (Julia Lemmertz): Mulher de origem nobre, atualmente falida. É esperta e atenta a tudo o que acontece ao seu redor.

Melissa (Paolla Oliveira): Filha de Doroteia, linda e aparentemente meiga.

Roberto (Rômulo Estrela): Filho de Dorotéia e irmão de Melissa, tem caráter duvidoso. 

Os criados da família Castellini:

Zilda (Nívea Maria): Trabalha há anos como governanta da Condessa Vitória. É leal e discreta.

Afonso (Caio Paduan): Filho único de Zilda. Para desgosto da mãe, se apaixona por uma jovem de origem humilde.

Massimo (Luis Melo): Administrador da propriedade da família Castellini, em Campobello. É simples, pacato e avesso a badalações.

Bento (Felipe Fagundes/Luiz Carlos Vasconcelos): Cruel capataz da Condessa Vitória.

Severa (Dani Barros): Ama de Alex. Mulher seca e autoritária.
Walmir (Cassiano Carneiro): Cavalariço de Felipe, é bom e cuidadoso com o seu trabalho.

Rosa (Carolina Kasting): Cozinheira da família. É uma pessoa do bem.

Os moradores de Campobello:

Gema (Louise Cardoso): Mulher bondosa, forte e alto astral.

Pedro (Emílio Dantas): Filho de Gema, apaixonado por Lívia. Aos poucos vai mostrar o seu verdadeiro caráter.

Anita (Letícia Persiles): Filha de Gema e irmã de Pedro. Alegre e divertida. Sonha em se casar.

Salomé (Inês Peixoto): Casada com Massimo. Adora festas e sonha em fazer parte da alta sociedade.

Bianca (Flora Diegues): Filha de Massimo e Salomé. É uma jovem vaidosa e sonhadora.

Felicia (Mel Maia): Filha caçula de Massimo e Salomé e irmã de Bianca. É uma menina moleca e indisciplinada.

Carola (Ana Flavia Cavalcanti): Jovem simples e batalhadora. É uma das primeiras pessoas a se candidatar a um trabalho no casarão da Condessa Vitória.

Raul (Val Perré): Homem bom e sofrido.

Chico (João Gabriel D’Aleluia): Filho de Raul, esperto e obediente.

Outros:

Ariel (Michel Melamed): Espécie de “anjo na terra”. Estará sempre no lugar certo e na hora certa para ajudar as pessoas do bem.

Mestre (Othon Bastos): Mestre de Ariel. Tem o poder de ser a ponte entre os seres humanos e o mundo superior.  

Dr. Botelho (Marcelo Torreão): Médico de Campobello, sempre disponível para ajudar as pessoas.

Pérsio (Wagner Santisteban): Filho do Dr. Botelho, estudante de medicina.

Dona Neném (Nica Bomfim): Dona da venda de Campobello. É fofoqueira e comunicativa.

Padre Luiz (Carlos Vereza): Padre da paróquia de Campobello. Homem sério e comprometido.

Irmã Lúcia (Norma Blum): Freira do convento onde Lívia faz o noviciado. Tenta despertar nela a vontade de se tornar noviça.

Rita (Daniela Fontan): Irmã de Carola e colega de Lívia no convento.
Tomaz (Thommy Schiavo): Morador de Campobello e um dos criados do casarão.

Participações:

Genaro (Roberto Pirillo): Proprietário de um pedaço de terra em Campobello e produtor autônomo de vinho.
Alberto (Juca de Oliveira): marido da Condessa Vitória em cenas de flashback.



Siga o blog e receba novidades em primeira mão.



Me acompanhem também: TWITTER | CANAL | INSTAGRAM | FACEBOOK

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR

0 comentários

Deixe o seu comentário, não esqueça do seu email e do seu blog!