Resenha | Animação: O Pequeno Príncipe

By Um Container - 19:19:00

Eu resisti um pouco quando fui convidado para assistir o “pequeno príncipe” porque eu não sabia a história, mas muitas pessoas me disseram que gostaram da história do livro e outras pessoas me disseram que odiaram. Não posso julgar nenhuma das duas opiniões porque eu jamais o li, então fiquei em um fogo cruzado e meio perdido na decisão, mas resolvi aceitar o convite e ir assistir.

Mesmo que você talvez não tenha ouvido falar no livro, é quase certeza que seus pais ou avós já o tenham visto ou pelo menos ouviram falar pois o livro foi escrito pelo francês Antoine de Saint-Exupéry, em 1943. Pois é galera, o livro não é nem um pouco novo, mas gerou uma história linda no cinema que eu tive que me controlar para não chorar quando entendi o propósito de tudo. A história do filme traz uma garotinha que está sendo preparada pela sua mãe para a vida adulta onde ela terá uma agenda bem pontual e que terá tudo cronometrado. Sua mãe tem uma forma de educa-la para uma vida adulta que eu jamais vi e em certos pontos achei engraçado pois é o tipo de coisa que eu não acho que seja provável uma mãe fazer com uma filha.
 

A mãe da menina quer muito que sua filha entre em uma escola que é uma, se não a melhor escola que qualquer pessoa possa frequentar. Elas não moravam no bairro, então foi preciso ir para uma audição onde iriam fazer uma pergunta para a menina e se ela fosse bem, passaria a frequentar a escola, mas ela não se deu muito bem. Sua mãe queria muito que ela entrasse para essa escola, então pra isso ela precisou se mudar e comprar uma casa em um bairro próximo a escola para que a menina consiga uma vaga na escola de qualquer forma. Ao se mudar para essa casa (que foi mais barata que o normal) elas percebem que mudaram ao lado de uma casa que não é um padrão naquele bairro, uma casa feita de madeira com um jardim colorido e arvores (tudo o que uma casa “normal” daquele bairro não tinha). Nessa casa “anormal” morava um senhor que estava tentando consertar um avião antigo dele e ao tentar fazer o avião ligar, sua hélice foi parar na casa dessa menininha que estava assustada ainda com aquele velho estranho morando ao seu lado.

Um dia ela estava estudando e seguindo sua tabela de horários para se preparar para o primeiro dia de aula e um avião de papel entrou pela sua janela no momento em que estava escurecendo a cidade. Ela viu que quem havia mandado era o senhor, o mesmo que quebrou sua casa com a hélice do avião. Então ela fechou a janela e a persiana. Os dias foram se passando e ela foi criando um vínculo com esse senhor e o que parecia improvável aconteceu.


Com o passar dos dias os dois criaram um laço de amizade, amor, carinho e afeto. Uma amizade linda que parecia improvável, porém a menina escondia essa amizade de sua mãe pois na tabela de horários não havia tempo para uma amizade, apenas para estudos e mais estudos.
 

Dentro dessa amizade esse senhor “aviador” começou lhe contar aos poucos a história do pequeno príncipe para ela e a menina ficou encantada a cada parte da história. No final da história, o aviador disse que jamais viu novamente o pequeno príncipe e a garotinha acaba ficando irritada com isso por saber que o aviador deixou o pequeno príncipe partir sem se quer tentar impedi-lo (não posso falar mais sobre isso porque faz parte de todo o contexto da história.

Um dia depois da menina ter falado que odiou a história e ter tratado mal seu novo amigo, ele passou mal e precisou ir para o hospital. Lembrando que ele é um senhor de idade. Ela estava voltando da escola em um dia chuvoso quando viu a ambulância carregando ele e assim ela correu atrás da ambulância e roubou uma bicicleta para ir ver seu amigo pois ela amava ele e sabia que tinha errado ao ser grosseira da forma que foi. Depois disso, na mesma noite ela resolve ir atrás do pequeno príncipe e embarcou em uma super aventura por mundos distintos para conseguir encontra-lo para trazer seu amigo para casa, para que ele fique bem. A animação é incrível e emocionante com momentos de alegria e tristeza. É preciso sentir o filme e não procurar apenas uma lógica nisso tudo pois há coisas que precisamos ver com o coração para ver de verdade as melhores coisas da vida.
 

É uma lição de vida. O filme nos faz refletir com grandes lições sobre as coisas simples que não damos atenção, de como o relacionamento humano é importantes e de como é viver, no sentido mais simples e puro da palavra.

O filme traz um ensinamento incrível que eu não posso falar pra vocês pois vai de cada um tirar suas próprias conclusões, mas revelo que me fez refletir demais sobre a vida. Esteja preparado para um lindo filme e muitas sensações. A história não deixa o espectador que não leu ao livro se perder. Tem pontos bem definidos e explica bem o que ficou subentendido nas partes em stop-motions ou computadorizadas. O diretor soube muito bem inserir o cotidiano dentro do enredo do filme, ainda mais se tratando de uma situação bem comum: a maneira como os adultos tentam criar crianças, cada vez mais, adultizadas, sem levar tanto em consideração a ingenuidade e a autodescoberta dessa fase. Mark Osborne usou todo esse contexto para inserir o clássico da literatura infantil e deu muito certo. O Pequeno Príncipe vira a grande luz na vida da garota.




A animação ainda está em cartaz e estreou dia 20 desse mês (agosto 2015) e tem duração de 1h46 min que vai ser um tempo que vai passar tão rápido que você não vai perceber.

Eu realmente indico que vocês assistam essa animação pois achei ela incrivelmente linda e quero saber a opinião de vocês sobre o livro ou o filme então não esqueçam de comentar que eu quero saber tudo. Espero que tenham gostado dessa super resenha e explicação da animação. Um beijo e até a próxima postagem.


Postagem nova toda segunda, quarta e sexta.

---------------------

 Deixe seu comentário que eu vou amar ler, saber que esteve aqui e o que achou. Não esqueça de seguir o blog para receber as postagens em primeira mão.


Me acompanhem também: TWITTER | CANAL | INSTAGRAM | FACEBOOK

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários

Deixe o seu comentário, não esqueça do seu email e do seu blog!